Hoje na história: nascia o professor dos oprimidos Paulo Freire!

Via Redfish

Paulo Freire nasceu em Recife, Brasil, em 1921. Trabalhou brevemente como advogado, mas logo se voltou para a educação, especificamente para o desenvolvimento de programas de alfabetização para o campesinato brasileiro, que estava amplamente privado de direitos devido à exigência de alfabetização. Quando o governo reformista de João Goulart foi derrubado por um golpe militar apoiado pela CIA em 1964, Freire, considerado um “subversivo internacional” ao tentar transformar o Brasil em um “país bolchevique”, foi imediatamente detido e encarcerado por setenta dias. Antes que ele pudesse ser preso novamente, ou pior, ele começou um exílio auto-imposto de dezesseis anos.

Freire, que se tornou professor de história e filosofia da educação na Universidade do Recife, no Brasil, viveu e aprendeu com a situação da pobreza e da fome durante a Grande Depressão de 1929. Essa experiência impregnou nele uma profunda preocupação com os pobres, que influenciou seus pontos de vista sobre a educação.

Paulo Freire é amplamente considerado o avô e um dos maiores contribuintes da pedagogia crítica. A pedagogia crítica é um método de ensino que visa ajudar a desafiar e lutar ativamente contra qualquer forma de opressão social e os costumes e crenças relacionados. A pedagogia crítica quer questionar a sociedade em sua compreensão do papel que a educação tem. Deste ponto de vista, a crítica social é necessária se não se deseja uma formação e educação que contribua para a reprodução da desigualdade. Segundo a pedagogia crítica, a educação é inerentemente política, e qualquer tipo de pedagogia deve estar atento a esse fato. Uma visão social e educacional de justiça e igualdade deve ser a base de qualquer tipo de educação. A libertação da opressão e do sofrimento humano deve ser uma dimensão importante na educação. A educação deve promover tanto a mudança emancipatória quanto o cultivo do intelecto. Como disse uma vez: “A educação funciona como instrumento usado para facilitar a integração da geração mais jovem na lógica do sistema atual e trazer a conformidade à mesma, ou então torna-se a “prática da liberdade’’- o meio através do qual homens e mulheres lidam crítico e criativamente com a realidade e descobrem como participar da transformação de seu mundo “.


Freire é mais conhecido por seu livro “Pedagogia do Oprimido”, no qual descreve como as pessoas não foram ensinadas ou nunca aprenderam a pensar criticamente sobre sua opressão. A maioria das pessoas aceita sua situação como inevitável e como pertencente à própria vida. Somente quando tomar consciência de sua situação e ser capaz de atribuir um significado a ela (chamado de processo de “conscientização”), o passo pode ser dado no sentido de mudar a situação, fazendo da educação, como diria Nelson Mandela, uma arma que pode ser usada para mudar o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *