Irã proíbe importação de vacinas contra Covid-19 dos EUA e Grã-Bretanha

Via RT

O líder supremo iraniano Ayatollah Ali Khamenei proibiu a importação de quaisquer vacinas Covid dos EUA e do Reino Unido, questionando sua eficácia e sugerindo que os desenvolvedores poderiam estar dispostos a “testar” seus medicamentos em nações estrangeiras. O anúncio veio em um discurso televisionado na sexta-feira, com o Líder Supremo chegando ao ponto de sugerir que Londres e Washington poderiam estar procurando “contaminar” outros países com suas soluções anti-coronavírus.

“As importações de vacinas americanas e britânicas para o país estão proibidas… Elas são completamente não confiáveis. Não é improvável que eles queiram contaminar outras nações”.

Os fabricantes americanos Moderna e Pfizer, assim como a britânica AstraZeneca, lançaram suas respectivas vacinas anti-coronavírus nos últimos meses. As campanhas de vacinação em massa utilizando seus medicamentos já começaram em vários estados, incluindo os países de origem das vacinas. Anteriormente, o Crescente Vermelho Iraniano anunciou que iria receber um lote de 150.000 doses da Pfizer, embora a organização não tenha dado nenhum prazo para a chegada das vacinas.

Além de proibir totalmente as drogas dos EUA e do Reino Unido, Khamenei também sinalizou que Teerã não contará com nenhum produto de fabricação francesa se elas também estiverem disponíveis.

“Dada nossa experiência com o fornecimento de sangue contaminado pelo HIV na França, as vacinas francesas também não são confiáveis”, disse Khamenei, referindo-se ao grande escândalo do início da década de 1990.

O líder disse, no entanto, que Teerã teve a opção de importar vacinas contra o coronavírus “de outros lugares confiáveis”. Embora Khamenei não tenha especificado os candidatos à importação, a vacina russa Sputnik V está provavelmente entre os primeiros candidatos. O Irã vem desenvolvendo sua própria vacina, e seus testes de primeira fase já começaram.

As permanentes sanções impostas a Teerã por Washington limitam sua capacidade de adquirir vacinas do exterior, especialmente do Ocidente. Embora o fornecimento de bens médicos essenciais não seja sancionado, a capacidade do Irã de fazer transações no exterior tem sido severamente limitada.

Khamenei também aflorou a questão das sanções, apelando novamente a Washington para parar com suas políticas hostis e exortando-o a levantar as restrições. Ele também disse que os EUA ainda tinham a opção de voltar ao acordo nuclear histórico do qual Washington se afastou em 2018.

“Não estamos insistindo nem com pressa para que os EUA retornem ao acordo”, declarou Khamenei. Mas estas sanções brutais devem ser levantadas imediatamente”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *