Hoje na história: revolta liderada por estudantes derruba ditador apoiado pelo imperialismo, na Indonésia

Via Redfish

Hoje na história, na Indonésia, o ditador de direita Suharto, apoiado pelos EUA, foi derrubado por uma revolta em massa liderada por estudantes em 1998.

Em 1965, o general Suharto, apoiado pela CIA, chegou ao poder e supervisionou o genocídio político de até 2 milhões de comunistas indonésios, sindicalistas e outros esquerdistas, a prisão de mais um milhão, a proibição do marxismo e a destruição do maior movimento comunista fora da União Soviética e da China.

Temendo uma revolução comunista, os EUA, o Reino Unido e a Austrália apoiaram Suharto afastando o nacionalista esquerdista Sukarno e estabelecendo uma ditadura militar repressiva de 33 anos sobre os cadáveres de comunistas executados.

O regime de Suharto liderou uma contra-revolução patrocinada pelo Ocidente no 4º país mais populoso do mundo, encerrando efetivamente “a ameaça” da democracia demolindo os veículos políticos de massa dos pobres, disciplinando os trabalhadores de volta aos seus papéis submissos no serviço ao capital e abrir as riquezas do país a investidores estrangeiros.

A contra-revolução foi tão bem-sucedida que se tornou um modelo de terror anticomunista que seria exportado para o exterior, com o slogan “Jakarta Is Coming” aparecendo em países como Brasil e Chile.

Em 1998, após décadas de crescente descontentamento com o aumento da desigualdade, corrupção e outras queixas, uma crise financeira destruiu a economia, provocando greves, motins e manifestações em todo o arquipélago de 13.000 ilhas.

Em 12 de maio, acendeu-se a faísca que acendeu Jacarta, quando 6 manifestantes estudantis da Universidade Trisakti foram mortos a tiros pelas forças de segurança, levando a uma escalada. Protestos e motins dominariam a capital, à medida que os pobres urbanos e a classe trabalhadora se juntassem à luta. Após 10 dias, Suharto foi derrubado.

Uma situação revolucionária se abriu, mas as forças de moderação e reforma impediram o movimento revolucionário cuja tradição e estrutura organizacional foram decapitadas na década de 1960 e estavam apenas começando a ser reconstruídas.

Embora a revolta de 1998 tenha iniciado um novo capítulo na história da nação, Suharto nunca foi levado à justiça e muitos de seus companheiros permaneceram no poder com muitas das estruturas ainda intactas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *