Hoje na história: Ghassan Kanafani é assassinado pelo mossad

Via Redfish

Hoje faz 48 anos que Ghassan Kanafani- um revolucionário socialista palestino e líder da resistência- foi assassinado pela Mossad israelense junto com sua sobrinha de 17 anos em um atentado com carro-bomba em Beirute.

Kanafani era um autor, jornalista, ativista político e membro líder da Frente Popular para a Libertação da Palestina (PFLP).

Nascido em Akka, na Palestina, durante a era da ocupação do Mandato Britânico, Kanafani e sua família foram expulsos de suas terras durante o Nakba de 1948 e se tornaram refugiados em Damasco. Ele ensinou arte em campos palestinos enquanto completava seus estudos secundários e depois se matriculou no Departamento de Literatura Árabe da Universidade de Damasco, da qual foi expulso por sua associação com o Movimento Nasserista de Nacionalistas Árabes (MAN) – uma organização nacionalista pan-árabe que mais tarde evoluiria para a PFLP. Kanafani serviu como editor de vários jornais afiliados à MAN em Beirute antes de assumir a redação do jornal marxista “al-Hadaf”, associado à PFLP.

Embora Kanafani seja conhecido por ser um líder da resistência, ele foi antes de tudo um escritor que entrelaçou seu ativismo político com suas histórias e poesias, e que foi pioneiro na “literatura da resistência palestina”, que ele argumentou estar ligada à luta mundial contra a opressão.

“A causa palestina não é uma causa apenas para palestinos, mas uma causa para todo revolucionário, onde quer que ele esteja, como uma causa das massas exploradas e oprimidas em nossa época”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *