Hoje na História: outra invasão americana no Caribe derrubou o primeiro-ministro socialista revolucionário de Granada

Via Redfish

Hoje é o 37º aniversário do golpe que derrubou Maurice Bishop, o primeiro-ministro socialista revolucionário de Granada que Ronald Reagan viu como uma ameaça porque ele não era apenas um socialista, mas ele era negro, falava inglês e poderia inspirar trinta milhões de negros americanos .

Devido aos programas sociais do governo de Granada e à proximidade com os movimentos de libertação de Cuba e da Nicarágua, o governo dos EUA reconheceu o potencial de uma revolução negra de língua inglesa nas Américas. O golpe contra Bishop e sua posterior execução forneceram a desculpa para os EUA invadirem o país em 25 de outubro de 1983, encerrando a experiência socialista de quatro anos na pequena ilha caribenha.

Maurice Bishop chegou ao poder ao derrotar o regime de Eric Gairy -apoiado pelos Estados Unidos – em março de 1979. Conhecido por seu carisma, brilhantes habilidades de comunicação e sua capacidade de se conectar com o povo, Bishop liderou o Governo Revolucionário do Povo de Granada em uma série de políticas para favorecem as massas pobres.

Seu governo introduziu saúde pública gratuita, proporcionou às pessoas programas de educação que reduziram o analfabetismo de 35% para 5% e o desemprego de 50% para 14%. Os direitos dos trabalhadores e das mulheres estiveram no centro das políticas, juntamente com a luta contra o racismo, o apartheid e o imperialismo.

Em 14 de outubro de 1983, Bishop foi deposto por Bernard Coard, supostamente gerando protestos que levaram às ruas 1/3 da população de Granada. No dia 19, Bishop, membros de seu gabinete e alguns apoiadores foram torturados e executados por um pelotão de fuzilamento.

“Quando o imperialismo aprenderá? Sim, eles podem matar nossos corpos, mas nunca podem matar o espírito de um povo que luta por sua libertação”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *