Hoje na História: há 7 anos falecia um dos maiores ícones da luta anti-fascista da Espanha

Via Rare Historical Photos

Marina Ginestà ficou famosa devido à foto tirada por Juan Guzmán no telhado do Hotel Colón, Barcelona, ​​durante a revolta militar de julho de 1936 em Barcelona. Como era repórter, era a única vez que Ginestà estava carregando uma arma. O rifle que ela carrega é o espanhol Mauser M1916, fabricado na famosa fábrica de Oviedo, na Espanha, para o exército espanhol. Marina Ginestà Marina Ginestà ficou famosa devido à foto tirada por Juan Guzmán no telhado do Hotel Colón, Barcelona, ​​durante a revolta militar de julho de 1936 em Barcelona. Como era repórter, era a única vez que Ginestà estava carregando uma arma. O rifle que ela carrega é o espanhol Mauser M1916, fabricado na famosa fábrica de Oviedo, na Espanha, para o exército espanhol.

Marina era membro da Juventudes Socialistas Unificadas (Juventude Socialista), organização juvenil dirigida principalmente pelo Partido Comunista de Espanha (PCE, Partido Comunista da Espanha). Quando a guerra começou, ela serviu como repórter e tradutora ajudando Mikhail Koltsov, correspondente do jornal soviético Pravda.

Apesar de seu envolvimento inicial, ela rapidamente ficou desiludida com o caminho que os stalinistas estavam seguindo. Marina permaneceu militante durante o resto da guerra e foi atraída por outros grupos na época, como o P.O.U.M anti-stalinista (do qual o famoso escritor George Orwell era membro) e o anarquista C.N.T. Antes do final da guerra, Ginestà foi ferido e evacuado para Montpellier.

Marina não conhecia a foto até 2006, embora a imagem icônica tenha sido impressa e circulada por toda parte, servindo de capa para o livro “Treze Rosas Vermelhas” de Carlos Fonseca, além de dezenas de outras fotografias no livro “Imagens não publicadas da Guerra Civil ”(2002). Ela foi identificada por Garcia Bilbao, que leu as memórias do correspondente soviético do Pravda Mikhail Koltsov, com quem a jovem aparece em outra foto. Garcia Bilbao descobriu que Jinesta Marina, com J, identificado por Guzman na legenda, era na verdade Marina Ginesta, uma exilada que morava em Paris traduzindo textos em francês. Marina Ginesta, a garota icônica da Guerra Civil Espanhola, morreu em 6 de janeiro de 2014 em Paris, aos 94 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *