A FARSA DO “ATAQUE QUÍMICO DE ASSAD”: A BESTA-FERA DA GUERRA CONTRA A SÍRIA NÃO PODE PARAR

Luã Reis – A Síria venceu a guerra que as potência ocidentais junto as monarquias do golfo pérsico impuseram ao país, armando grupos religiosos fundamentalistas terroristas. Tal vitória representou grande desgraça e humilhação vergonhosa para EUA, União Europeia, Israel e Arábia Saudita. Porém, mais preciso seria dizer Síria, Irã e Rússia ganharam essa guerra, o que tornou essa derrota ainda mais dolorosa para o ocidente e os seus vassalos no Oriente Médio. Essa dor é inaceitável. 

“Ficaremos na Síria enquanto houver o ISIS e o caos no país”, declarou o Pentágono, ou seja para os interesses estratégicos do poder imperialista é necessário caos e terror. Mesmo assim, o crescente envolvimento dos EUA na guerra não impediu que a Síria derrotasse os terroristas e praticamente liquidasse o ISIS. Foi necessário criar-se uma nova “linha vermelha” que motivaria a ação do exército americano: a utilização por parte de Assad de armas químicas.

E esse ataque veio contra uma região que o Exército Árabe Sírio está prestes a reconquistar…
Então, Assad, reconhecidamente vencedor da guerra, lança um ataque químico contra uma área totalmente cercada pelo Exército Árabe Sírio, justamente para dar pretexto ao uma invasão ocidental? Seria o governo sírio tão estúpido assim? Não consultaria o aliados russos antes de tomar uma atitude que colocasse em risco todo esforço de guerra? Putin permitiria tal estupidez? 

A resposta para essas perguntas veio em um tuite de Trump que define Assad como um “animal”. Ora só uma criatura desprovida de razão daria a besta-fera ocidental o pretexto para massacrar o país. Eis a definição da concepção americana sobre os árabes: são irracionais, desprovidos de capacidade de raciocinar, portanto passíveis de serem controlados, domados, presos, quanto não mortos. 

A patética ofensa trompista embrulhada em uma evidente farsa acaba por definir não quem é Assad ou quem são os árabes. Define quem é Trump e os políticos americanos e europeus: farsantes da pior espécie, sedentos de sangue, que inventam um motivo tosco para justificar a uma nova cruzada imperial contra o povo sírio, em nome dos interesses do complexo industrial militar que controla o governo americano. 

A paz na região é a real dor para esses senhores da guerra, a junta militar, o partido da destruição, que imperam nos EUA, travestida de democracia. Animalizado é a parte do público que crê, cegamente, naquilo que os meios reproduzem para justificar mais uma guerra que também cobrará a cota de sangue do povo americano e bilhões de dólares do contribuintes americanos. 

A primeira reação ao suposto ataque resume bem os interesses envolvidos: um ataque israelense contra a Síria. Alguém acredita que Israel bombardeia a síria para proteger os sírios? Apenas um animal que não aceite a própria derrota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *