Governo Trump sabia da operação com mercenários para derrubar Maduro

Via notimérica

Ao que tudo indica, o governo dos Estados Unidos tinha conhecimento, apesar de negá-lo, da operação realizada por mercenários para tentar derrubar o presidente venezuelano Nicolas Maduro, de acordo com uma investigação do Miami Herald.

Em 3 de maio, aproximadamente 50 homens armados desembarcaram na Venezuela e foram capturados pelo governo. Entre eles estavam 47 venezuelanos e dois ex-soldados norte-americanos. Houve também seis mortes.

O líder da operação foi o ex-soldado americano Jordan Goudreau, que agora entrou com uma ação judicial contra o conselheiro Juan José Rendón, que é próximo ao presidente da Assembléia Nacional venezuelana e autoproclamado presidente no comando, Juan Guaidó.

Segundo Goudreau, que mostrou documentos ao Miami Herald, Guaidó sabia da tentativa de golpe, que o teria colocado no poder, e há registros em que o presidente da Assembléia incentiva os mercenários, bem como um contrato assinado em que uma das cláusulas estipulava que ele poderia negar seu envolvimento se a operação falhasse.

Além disso, Goudreau alegou ter se reunido com dois assessores governamentais: o assessor na época do Vice-Presidente Andrew Horn e um assessor do Departamento de Assuntos de Veteranos chamado Jason Beardsley.

O ex-militar está reivindicando $1,4 milhões (1,1 milhões de euros) de Rendon no processo judicial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *