Duque: ‘começa em Cali o uso máximo de força militar’

Via El Tiempo

Depois das mortes no Vale do Cauca, o presidente disse que defenderá os direitos dos cidadãos.

Depois de um novo dia de violência no Valle del Cauca, que deixou pelo menos quatro mortos, o presidente chegou a Cali na tarde desta sexta-feira e de lá anunciou o máximo destacamento militar na capital do Valle, que tem sido o epicentro de manifestações e manifestações. motins durante o mês de protestos.

A partir desta noite, começa na cidade de Cali e no departamento de Valle o máximo desdobramento da assistência militar à Polícia Nacional ”, afirmou o chefe de Estado.

O presidente acrescentou que esta implantação será realizada por oficiais altamente experientes. O general José Ramón Pérez, comandante da divisão, comandará esta operação no Vale, em coordenação com o subdiretor-geral da Polícia, Hoover Alfredo Penilla.

“Este desdobramento quase triplicará a nossa capacidade em menos de 24 horas em todo o departamento, garantindo assistência nos centros nervosos”, acrescentou e convidou os cidadãos a rodearem este trabalho da Força Pública.

Haverá cerca de 7.000 homens uniformizados de todas as forças armadas nas ruas.

Com esta implantação, Duque acrescentou que a proteção de todos os ativos estratégicos da Nação, a produtividade e a logística estarão garantidas.

“Ilhas de anarquia não podem existir em nosso país. O clamor dos cidadãos deve ser entendido, interpretado e abordado, mas nunca com violência no meio, atacando os cidadãos”, disse ele.

Desta forma, o presidente disse que diariamente os altos comandantes militares irão reportar, “em tempo hábil, cada ação para que haja total transparência quanto às ações da Força Pública”.

“Não vamos permitir mais atos que entristecem o povo colombiano (…) estaremos aqui até que garantamos a estabilidade que os cidadãos merecem”, disse.

Por outro lado, Duque disse que iniciarão o desdobramento de todas as capacidades de inteligência para que os colombianos conheçam os vínculos que existem em muitas das atividades de vandalismo com grupos organizados.

O Governo também reiterou a necessidade de desbloqueios para preservar os direitos de todos os cidadãos.

A assistência militar está consagrada no artigo 170 da Lei 1801 e as diretrizes para sua aplicação estão definidas na Política-Quadro de Convivência e Segurança Cidadã.

“É o instrumento legal que pode ser aplicado quando eventos de grave alteração da segurança e convivência o exijam, ou perante risco ou perigo iminente, ou para fazer face a uma emergência ou calamidade pública, através da qual o Presidente da República possa ordenar , temporária e excepcionalmente com o auxílio da força militar ”, avisa a lei.

Adicionalmente, a Política-Quadro de Convivência e Segurança Cidadã indica que o atendimento da força militar é temporário, portanto, só pode ser mantido enquanto for estritamente necessário para enfrentar os eventos de alteração grave de segurança e convivência, o risco ou perigo iminente ou emergência ou calamidade pública. Superada a situação que justificou o atendimento, este deve ser concluído.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *